Neste post, vamos retornar ao assunto modelagem desta vez tratando de um aspecto que garante característica às entidades, os atributos.

Os atributos são objetos que uma entidade possui e que ajudam a diferenciar cada uma delas dentro de um modelo. Se formos comparar com um modelo físico devidamente implementado em um SGBD, estes também seriam conhecidos com as colunas das tabelas.

São os atributos que dão a unicidade das entidades e garantem a integridade entre os relacionamentos no modelo quando vamos passar para a parte física do projeto.

CLASSIFICAÇÃO DOS ATRIBUTOS

A classificação dos atributos  é tratado com maior prioridade na fase lógica (fase de criação dos relacionamentos e suas cardinalidades) pois quando chegamos nesta fase, precisamos de um entendimento claro sobre as características mínimas de cada entidade.

Os atributos podem ser classificados em:

  • Descritivo
  • Normativo 
  • Referencial

Além de fornecer bom entendimento do modelo, classificar os atributos nos ajuda na identificação das chaves primárias e estrangeiras que serão os pontos de ligação dos relacionamentos.

ATRIBUTOS DESCRITIVOS

Como o próprio nome diz, é o atributo que garante as descrições das entidades e tem como objetivo caracterizar fielmente um modelo de acordo com os requisitos.

Podemos considerar todo atributo como descritivo, porém, tenham cuidado pois devido a complexidade, alguns acabam ganhando maiores definições.

Exemplo de atributo descritivo:

Podemos ver que estes são atributos que descrevem cada uma das entidades que poderiam ser modeladas em uma empresa.

ATRIBUTOS NORMATIVOS

Atributos desta categoria possuem dupla função quando atribuído a uma entidade:

  1. Denominar
  2. Descrever

São estes os atributos que terão a maior chance na modelagem lógica de ser um campo chave. (primária ou secundária)

Devemos destacar que na fase conceitual esse tipo de atributo pode ser plenamente ignorado pois estamos preocupados em entender o sistema modelado.

Exemplo de atributo normativo:

Os atributos id_médico e id_advogado são os atributos normativos dentro destas entidades.

ATRIBUTO REFERENCIAL

Este tipo de atributo é também conhecido como chave estrangeira por se encontrar na entidade A, mas pertencer a entidade B.

São estes atributos que garantem os relacionamentos no modelo lógico e físico do projeto.

E COMO DETECTAR UM ATRIBUTO REFERENCIAL?

Podemos detectar na fase conceitual para ganhar tempo quando passar para fase lógica, mesmo que aqui não seja prioridade. 

O mais recorrente é na fase lógica uma vez que precede a implementação do modelo físico. Se já foi identificado na etapa anterior, podemos apenas destacar e validar o atributo identificado.

E o mais importante é garantir que este atributo seja único na entidade e que haja um atributo candidato a ser chave para tal.

Este post teve como objetivo explicar algumas características dos atributos e como eles ajudam a identificar e relacionar as entidades. 

Assim, fechamos este pequeno post explicando brevemente sobre atributos das entidades e no próximo vamos falar sobre os relacionamentos que compõem o modelo entidade – relacionamento.