O relacionamento entre as entidades tem como objetivo dar sentido ao modelo observado garantindo que tudo que foi analisado ganhe sentido prático.

Não existe uma limitação entre as entidades no que tange ao relacionamento entre elas, e estas podem se relacionar livremente pelo modelo desde que atenda os requisitos do negócio.

Embora não haja restrição é importante que relacionamentos traduzam e respeitem situações reais do tipo:

  1. Entre objetos de diferentes tipos;
  2. Entre instâncias do mesmo tipo

RELACIONAMENTO ENTRE DIFERENTES ENTIDADES

É o tipo de relacionamento mais utilizado no modelo entidade relacionamento ocorrendo quando um atributo de uma entidade se relaciona com outra entidade.

Abaixo, temos um relacionamento que ocorre entre duas entidades diferentes onde podemos entender que:

  • Uma pessoa dirige um ou vários carros
  • Um carro é dirigido somente por uma pessoa

RELACIONAMENTO ENTRE AS MESMAS ENTIDADES

Este também é conhecido como auto relacionamento uma vez que não envolve uma segunda entidade.

Neste tipo de relacionamento, a entidade se relaciona consigo mesma sendo chamado também de relacionamento recursivo.

Um exemplo de relacionamento recursivo onde  a entidade vigilante se auto substitui.

Uma outra situação que pode ocorrer na modelagem e definição de relacionamentos entre as mesmas entidades é a representação de novos relacionamentos de acordo com a necessidade do negócio, como podemos ver abaixo numa modelagem de uma imobiliária:

DENOMINAÇÃO DE RELACIONAMENTOS

É o processo de atribuir uma ação que ocorre nos relacionamentos entre as entidades.

A denominação precisa ocorrer e ser descrita de forma exata para não causar desentendimento e incerteza no modelo e costuma ser aprimorada na fase lógica da modelagem.

A denominação de relacionamentos é dizer como estamos observando o modelo e suas entidades definindo uma ação entre eles. 

Podemos ler o relacionamento da seguinte forma: 

  • De pessoa para imóvel – pessoa aluga um imóvel
  • De imóvel para pessoa – imóvel é alugado por uma pessoa

Quando estabelecemos  a denominação entre os relacionamentos devemos ter em mente que existe uma hierarquia entre os relacionamentos e que estas ditam como iremos atribuir as ações. 

A leitura sempre começa da esquerda para direita (como vimos no exemplo acima) e de cima para baixo, como vamos ver no próximo.

A forma de leitura obedece o primeiro formato do exemplo anterior começando pela entidade pessoa.

Embora tenhamos uma hierarquia para denominar e ler os relacionamentos no modelo ER o mais aconselhado é sempre ler em mão dupla para obter o máximo entendimento sobre o que estamos modelando e como esse relacionamento se comporta no modelo.

PASSOS PARA ESTABELECER RELACIONAMENTO ENTRE AS ENTIDADES

Identificar os objetos envolvidos:

Quando identificamos estes objetos fica mais fácil estabelecer as relações entre as entidades como nas duas entidades abaixo:

CARACTERIZAR OS OBJETOS

É assegurar que os atributos certos serão devidamente alocados em suas entidades para que estas tenham características únicas e definitivas no modelo.

Abaixo, as duas entidades com seus atributos únicos.

IDENTIFICAR O RELACIONAMENTO

Nesta etapa não tem erro, basta entender qual ação a entidade A realiza com B e assim, temos nosso relacionamento criado no modelo ER.

Por exemplo a figura abaixo podemos dizer que médico atende paciente e paciente é atendido por médico.

Estes foram os passos para estabelecermos relacionamento entre cada uma das entidades e algumas dicas sobre como montar relacionamentos entre estas entidades.

E com isso, fechamos um post sobre relacionamentos e  no próximo vamos entrar nas cardinalidades, como elas se diferenciam e atuam com os relacionamentos.