Existem certas situações em que não há como escapar. Desviamos do caminho, buscamos novos horizontes, tentamos coisas novas, mas parece que quando “é para ser” não tem jeito.

Há um tempo atrás, postei que estava migrando para outra área e largando a T.I para me dedicar ao aprendizado de Marketing e até tentei trabalhar com Tráfego pago, porém não era o que eu queria de verdade. Nunca quis, aliás.

Devo dizer que não acredito muito nessa história de “buscar a felicidade e realização no trabalho”. Acho que existem locais melhores para isso. Ainda que soe meio contraditório, minha “alegria” era trabalhar com dados, mais precisamente, ETL e tudo que envolve o preparo e o tratamento.

Em dois posts no meu Instagram (aqui e aqui) eu explico os motivos que me fizeram tentar mudar de área, mas para resumir em uma única palavra, adianto: COVARDIA. E tem total relação com o título deste post.

Então, nesse primeiro post que marca oficialmente a minha volta às origens aqui no blog, vou esclarecer um pouco sobre minha fuga, retorno e o destino do blog, que por sinal, nem deveria ter mudado.

PYTHON: RESISTÊNCIA, FUGA E RENDIÇÃO

Eu não sei ao certo  quando  o temor em programação começou, nem os motivos, porém havia um bloqueio em relação ao assunto que me travava no aprendizado. Quando eu decidi cursar T.I, fui atrás da que tinha menos horas de programação na grade curricular – o que me levou a cursar Sistemas de Informação.

Programação na minha vida

Deixo claro que eu entrei na faculdade com o intuito de me tornar DBA, coisa que eu já queria muito antes de decidir o curso. Na época, pensava que a faculdade me formaria um. Me enganei. Aqui eu explico um pouco.

Durante o curso foi só maravilha, visto que não tinha o meu terror pessoal. As poucas horas na grade foram facilmente administradas e não precisei me dedicar tanto, afinal, estudei apenas para passar.

Concluindo as matérias obrigatórias do curso, me dediquei em outros afazeres que julgava mais importantes naquela época, podendo desviar toda minha atenção da programação.

A covardia de encarar o monstro dentro do armário era tanta que eu cheguei a me dedicar em aprender gestão de projetos, para não ter que pensar em topar com o assunto. Não teve jeito. Uma hora o bicho-papão vem te buscar.

Pulando para 2020, já com o blog e meu antigo Instagram (desativado), comecei a me aproximar do assunto e tentei aprender programação com a linguagem Python pela primeira vez.

Após a primeira tentativa, experimentei JavaScript (é preciso ressaltar  que eu tinha uma ideia de algum modo, utilizar programação com tráfego pago, mas não sabia bem como e no que, mas via que tinha aplicação prática e funcional.) e por fim, conversando com um grande amigo, ele me convenceu a retornar para área de T.I. Decidi voltar, mas fazendo do jeito correto, aprendendo programação.

Pela terceira tentativa (sem pedir música no fantástico) volto à programação, mas desta vez com um objetivo mais claro: me tornar engenheiro de dados.

Creio fielmente que ter essa clareza do porquê aprender Python me manterá no caminho e mesmo quando desanimar, o que é normal, não irei desistir. 

Agora estou fazendo o curso básico de Python da DSA, que é muito bom e tem me ajudado bastante no aprendizado e nos conceitos. Em adição, assim que fixar as bases, irei me dedicar a aprender o pacote Pandas e PySpark – dois requisitos para trabalhar com engenharia de dados.

Falando em engenharia de dados, agora vou explicar as motivações e como o blog irá “funcionar” daqui para frente.

ENGENHARIA DE DADOS: EVOLUÇÃO DO ETL E RETORNO

No princípio de tudo, esse blog começou como um hobby, era uma extensão de um antigo perfil do Instagram que utilizava na época. A intenção era me “auto explicar” e mais, aprofundar o assunto que eu estava estudando; a plataforma do Instagram é horrível para isso.

Eu não tinha muita pretensão, não acreditava no crescimento, não me sentia preparado, minha escrita era tenebrosa (não que seja absurda, embora tenha melhorado) e o formato de conteúdo não era muito amigável – brasileiro não gosta muito de ler. Porém, uma ex-namorada me incentivou e encorajou a iniciar e fui.

Comecei postando sobre SQL, depois passei para administração de SQL Server, até que conheci B.I e ETL e me interessei pela área. No princípio, o foco era somente Pentaho e construção de DW. Não tinha me atentado que as necessidades do mercado estavam mudando e só isso não era suficiente, havia cometido um erro.

Engenharia de Dados

Um pouco antes de experimentar a área de marketing eu havia ficado com essa ideia na cabeça e comecei a  pesquisar algumas vagas e percebi que a maioria delas era para engenharia de dados. Entendi que todo o nicho de ETL e o mercado de trabalho tinha evoluído e se adaptado para o Big Data e que somente o ETL com dados estruturados já não era o bastante.

Decidido a voltar para onde eu comecei, conversei com esse mesmo amigo que citei acima e expliquei o que de fato eu queria e em que isso se encaixava no mercado. Não queria cometer o mesmo erro.

Disse que havia lido sobre as profissões envolvidas na área de dados e no meio da conversa, entendi que de tudo que eu já vinha construindo e fazendo, era uma parte da Engenharia de Dados, mesmo sem intenção e sem saber. E é aqui que o blog recomeça.

VELHO NOVO CONTEÚDO: TUDO SOBRE ENGENHARIA DE DADOS E BIG DATA

Com toda a exposição dos motivos que me fizeram tentar outra área e voltar, agora vou esclarecer os assuntos que irei tocar de hoje até o final da vida (minha ou do blog).

Primeiro preciso destacar que serão divididos em ciclos de estudo, preciso relembrar alguns assuntos e construir base para outros, a princípio irei:

  1. Reescrever alguns dos muitos (senão todos) os artigos, aprofundando mais, sobre SQL;
  2. Reescrever os artigos sobre modelagem dimensional e relacional;
  3. Escrever conteúdos sobre meu aprendizado em Python, no mesmo estilo dos que fiz com SQL;
  4. Escrever artigos sobre Cloud e Spark. Comprei dois livros da Amazon que tratam sobre o assunto, irei compartilhar tudo que puder com vocês.
  5. Como estou estudando Linux, vou analisar uma forma de trazer conteúdo a respeito, mesmo que de maneira tímida. Estou engatinhando e muito devagar no S.O

Para o futuro, pretendo trazer mais portfólios, testes e tudo o mais que envolve Engenharia de Dados.

CONCLUSÃO

Achei que seria honesto vir aqui e expor o que aconteceu, o que me fez mudar e quais motivos me tiraram e trouxeram para a T.I.

Sou a favor da transparência no trabalho principalmente por considerar esse blog como uma extensão dele, mesmo fazendo com gosto, levo como um emprego que exige dedicação e qualidade.

Amanhã ou depois eu voltarei com meu plano de estudos para os próximos três meses, ao qual poderão acompanhar minha jornada de aprendizado até meu tão sonhado emprego como Engenheiro de Dados.

Dax continuará, em menor volume, mas em grande qualidade.

Espero que continuem aqui comigo, tenham uma ótima semana!

Se gostou, deixe seu like!
Não esqueça de comentar e compartilhar o blog com seus amigos.

Se quiser acompanhar de perto, assine abaixo!

Entre em contato!